Moçambique

Em 2002, os Chefes de Estado africanos procederam ao lançamento do Programa Compreensivo para o Desenvolvimento Agrícola em África (CAADP). O objectivo principal deste programa é o crescimento económico do continente alicerçado na agricultura. Esta ambição dos governos africanos está consagrada na Declaração de Maputo de 2003, na qual se comprometeram a investir, pelo menos, 10% dos seus orçamentos nacionais na agricultura.

Este seria um aumento significativo à actual média de 4,5% e seria de importância crítica para os pequenos agricultores em Moçambique, onde cerca de 3,2 milhões de camponeses, com menos de 2 hectares de terra cada, contribuem 95% do valor do sector agrícola; no entanto, são excluídos dos processos de decisão política que afectam a sua subsistência.

Em Moçambique, a ACORD está a capacitar os agricultores para, de forma activa, participarem nos processos decisórios que afectam a sua segurança alimentar, promovendo junto das administrações locais e nacionais políticas que possam dar resposta às necessidades dos pobres, VIH / SIDA, bem como políticas de soberania alimentar e agrícolas que levem em conta a perspectiva do género.

Projectos em curso

As mulheres da Associação dos agricultores em pequena escala de Magude mostram tomate recém colhida do regime de irrigação. Foto: Nashon/ACORD.

Desde 1989 que a ACORD está a desenvolver as suas actividades em Moçambique no âmbito da implementação de vários programas de redução da pobreza e gestão dos recursos naturais. O trabalho da ACORD visa reforçar os meios de subsistência das comunidades marginalizadas e a sua capacidade de defesa dos direitos e de alcance da soberania alimentar. Para este fim, a ACORD está a implementar um conjunto de actividades práticas e de advocacia.

>> A fim de satisfazer as necessidades imediatas das comunidades rurais, a ACORD está a estabelecer celeiros de alimentos e campos de demonstração nas áreas afectadas pela insegurança alimentar. A liderança e a supervisão da construção dos celeiros está a cargo dos Comités Comunitários de Celeiros de Alimentos criados para o efeito e que são também responsáveis pela sua gestão. Os celeiros são então alugados aos agricultores da comunidade (dos quais, pelo menos, 50% são mulheres) e 10% das sementes resistentes à seca colhidas são armazenadas no banco de sementes.

>> A fim de reforçar a capacidade das comunidades participarem nos processos de formulação de políticas, a ACORD facilita ao nível local e nacional um conjunto de acções que compreende a análise de políticas, formação (em desenvolvimento participativo, literacia política, direitos de terra e de alimentos, advocacia, diálogo da sociedade civil), desenvolvimento de alianças, compartilha de conhecimentos e advocacia.

>> Promover vínculos com serviços de alta qualidade relacionados com VIH / SIDA para permitir que os mesmos, bem como as comunidades possam reduzir o impacto da pandemia na produção agrícola.

Locais onde desenvolvemos as nossas actividades em Moçambique

A ACORD está activa em duas das províncias mais carenciadas de Moçambique, a saber, Niassa no norte do país e Inhambane na costa meridional.


Veja no mapa ampliado a localização geográfica das actividades da ACORD em Moçambique.

Comunidades contam as suas histórias em Moçambique

No distrito de Sanga, no extremo norte de Moçambique, a ACORD está a ajudar as comunidades a superar a insegurança alimentar, aumentando a produção e o armazenamento dos alimentos. No primeiro semestre de 2010, foram construídos quatro celeiros comunitários de alimentos em zonas afectadas pela insegurança alimentar. As comunidades disponibilizaram o espaço para a construção dos celeiros e a mão-de-obra para o fabrico de tijolos. Os celeiros estão já a ser utilizados para o armazenamento de culturas. Foi também aberto um mercado para a comercialização do excedente da produção.
O sr. Said Mbwana Massogo, um agricultor de Matcheje, relata: "Sim, precisamos de aumentar a nossa produção, mas a nossa necessidade prioritária são instalações de armazenamento adequadas. Os elefantes destruíam com facilidade os nossos celeiros tradicionais e as nossas colheitas. Agora, não conseguirão destruir este celeiro construído com cimento e as nossas colheitas estão seguras. Sofremos durante muito tempo, mas agora o nosso sofrimento certamente chegou ao fim."
Leia mais sobre o Projecto dos Celeiros Comunitários de Alimentos aqui.

Nossos parceiros em Moçambique

O principal parceiro da ACORD na mobilização da sociedade civil e advocacia é a organização ROSA (Rede Nacional de Organizações que Trabalham na área de Soberania Alimentar). O Fundo Global para a Natureza (WWF) e a ACORD têm estado a trabalhar com as comunidades do Distrito de Sanga, Província do Niassa, em projectos de gestão dos recursos naturais. Em Moçambique, a ACORD recebe valioso apoio de DFID, Oxfam Hong Kong e Jersey Overseas Aid.

Fotografias, vídeos e publicações

Conhecimento, sensibilidade e acessibilidade comunitária aos ARVs & política ambiental. Relatório de síntese de Tanzânia, Moçambique e Burkina-Faso.
inglês  |  francês  |  português


Associação de camponeses de Moamba
Veja slideshow de fotografia




Podemos enviar fotografias e vídeos sobre as actividades da ACORD em Moçambique mediante pedido por escrito remetido ao seguinte endereço: communications@acordinternational.org.

Como pode apoiar as comunidades em Moçambique

As doações financeiras e o apoio em espécie aos Programas da ACORD em Moçambique contribuem sobremaneira para apoiar as mulheres e as comunidades vulneráveis nas zonas afectadas pela insegurança alimentar na satisfação das suas necessidades imediatas; podem também contribuir para a abordagem dos desafios ao desenvolvimento a longo prazo. Estas acções constituem factores críticos de capacitação para a implementação bem sucedida dos nossos projectos. O compromisso e a apropriação da manutenção das instalações pelas próprias comunidades garantirão o impacto duradouro dos programas na sua subsistência e no seu desenvolvimento.

Subscreva ao nosso boletim informativo, visite o escritório mais próximo da ACORD ou telefone-nos a fim de obter mais informações sobre as nossas actividades em Moçambique.

  • moçambique