Angola

O filme 'Farda de Combate' documenta os projectos que a ACORD está a desenvolver em Angola. Junte-se aos soldados do exército angolano e às mulheres da comunidade ao lado do quartel a serem ensinados como negociar sexo seguro, confrontar a violência e melhorar a comunicação nas suas relações. O filme também demonstra a aplicação da metodologia Stepping Stones no apoio às actividades na área de VIH. O documentário representa um marco importante na sensibilização e educação sobre VIH e SIDA e foi atribuído o prémio Gold Plaque durante o concurso da INTERCOM, no Festival Internacional de Cinema de Chicago, em 2008.

Projectos em curso

A ACORD desenvolve as suas actividades em Angola desde 1986. O objectivo principal é contribuir para a redução das causas da pobreza, exclusão social e vulnerabilidade dos menos privilegiados, população pobre urbana, comunidades pastoris, deslocados internos e pequenos agricultores. Na sua resposta aos complexos desafios que afectam as comunidades mais vulneráveis em Angola, as acções da ACORD incidem em três áreas principais:

>> Conflitos: a reintegração económica e social dos desmobilizados nas províncias de Huíla, Bié e Cunene. O melhoramento das oportunidades de subsistência tem sido fundamental a este processo. As actividades se centraram no melhoramento das técnicas agrícolas, distribuição de insumos agrícolas e de bois para tracção animal a grupos de antigos combatentes e de pessoas vulneráveis, bem como na promoção da paz e reconciliação, gestão e resolução de conflitos.

>> VIH e SIDA: as acções tiveram como enfoque a prevenção, o apoio aos activistas de VIH e SIDA, capacitação e integração do VIH e SIDA. A ACORD ministrou formação e capacitação para o combate ao VIH e SIDA a oito grupos de soldados e às respectivas comunidades, utilizando a metodologia Stepping Stones, que também integra a componente do género e de VIH e SIDA. O impacto da formação levou a uma redução acentuada no consumo de álcool e na prática de relações sexuais desprotegidas com múltiplos parceiros, violência contra a mulher e também elevou a consciência em relação ao uso do preservativo e inculcou um maior pela mulher. Todavia, muitos dos soldados que participaram na formação reportaram que mudanças significativas tinham ocorrido na sua vida e que agora se consideravam activistas ou "guerrilheiros" de VIH e SIDA, cujo dever era ajudar aos outros a se protegerem contra o VIH, assim como levar a cabo outras actividades afins.

>> Capacitação: A ACORD tem estado a estimular o surgimento e o florescimento da sociedade civil, através de actividades de capacitação tendo como principal alvo as ONGs locais e as estruturas do governo em Camacupa e Catabola, Bié, Huíla, Namibe e Cunene. Foi concluído um programa sobre questões jurídicas nas províncias de Huíla e Namibe, como também a iniciativa de Informação e Comunicação Educacional (ICE) ao longo das zonas fronteiriças na província do Cunene. Em termos gerais, a ACORD tem estado a dar um contributo marcadamente positivo ao processo de descentralização administrativa.

Locais onde desenvolvemos as nossas actividades em Angola

As intervenções da ACORD centraram-se principalmente em três províncias: Cunene, Bié (municípios de Camacupa e Catabola) e Huíla.


Visualizar ACORD em Angola em um mapa maior

As comunidades contam as suas histórias em Angola

"Como líder comunitário, o curso de Formação de Formadores forneceu-me valiosas ferramentas para ajudar a capacitar outros membros da comunidade a compreender e agir sobre as suas circunstâncias utilizando os recursos disponíveis para estancar a propagação do VIH e SIDA em Angola", disse um participante que tomou parte no seminário de formação sobre o VIH, realizado no Município de Camacupa em 2008.

"Stepping Stones transformou a minha vida pessoal. Nunca imaginei que o VIH e a SIDA pudessem ser abordados dessa maneira. Vejo agora os resultados, veja o filme 'Comandos do Preservativo' e saiba como." Dr. André Chimuco, General do Exército, afecto à 7ª Brigada de Angola, um dos personagens principais do filme "Comandos do Preservativo" produzido pela ACORD.

Nossos parceiros em Angola

A ACORD tem influenciado e trabalhado com comunidades e autoridades em 5 províncias, 11 municípios, e tem prestado apoio directo a 40 instituições e ONGs e participado activamente em 10 redes sobre Terra, Microfinanças, Género, VIH / SIDA, Inovação Institucional, Poder Local e Descentralização, Luta contra a Pobreza, Rede Eleitoral, Conselho das ONGs Internacionais em Angola (CONGA).

Recursos

Farda de Combate (DVD, 2007)
Junte-se aos soldados do exército angolano e às mulheres da comunidade ao lado do quartel aprendendo como negociar o sexo seguro, confrontar a violência e melhorar a comunicação nas suas relações.
inglês

De mãos dadas: integração do género e VIH e SIDA (relatório de 2006)
Usando a metodologia `Stepping Stones` para incorporar a componente de sensibilização sobre o género nos projectos de VIH em Angola, Uganda e Tanzânia.
inglês | francês | português

Ciclos de violência: relações do género e conflitos armados (livro, 2005)
Qual é o impacto da guerra nas relações do género? E podem as relações do género contribuir aos conflitos armados?
inglês

Também pode encontrar recursos adicionais sobre as actividades da ACORD em Angola neste site.

Podemos enviar fotografias e vídeos do trabalho da ACORD em Angola, mediante pedido por escrito remetido ao seguinte endereço: communications@acordinternational.org.

Como pode apoiar as comunidades em Angola

Em Angola, a ACORD tem, desde 1986, estado a apoiar a capacitação da sociedade civil e dos órgãos governamentais. Apoiou a reintegração socioeconómica de 5.300 antigos combatentes desmobilizados e fez o acompanhamento do processo das eleições democráticas em 2009 através da promoção da paz e do diálogo, formação sobre os direitos humanos, abordagem das questões do género e do VIH / SIDA e das questões relacionadas com a cidadania.

A sua doação irá contribuir para melhorar a vida dos angolanos mais marginalizados através da abordagem das políticas agrária e de terra. A sua doação ajudará a estes angolanos a compreender melhor as questões políticas e a capacitá-los para que possam defender, junto das administrações locais e nacionais, políticas favoráveis aos pobres e de VIH / SIDA bem como políticas e práticas de soberania alimentar sensíveis ao género. Juntamente com as comunidades, a ACORD tem-se engajado no diálogo com as administrações locais descentralizadas para incentivar o governo a assumir a sua responsabilidade na defesa do direito dos angolanos à alimentação.

Faça uma doação à ACORD em Angola, agora!

  • angola
  • conflitos e construção da paz
  • direito à alimentação
  • formação e capacitação
  • género
  • mulher
  • organizações comunitárias
  • redes de contacto
  • vih e sida
  • violência contra a mulher